Você é uma pessoa doce ou amarga?

01/02/2018 Bispos Artigos

Você é uma pessoa doce ou amarga?

Segundo o Aurélio, amargura significa tristeza, sofrimento, mágoa, amargor. Assim, a amargura não fica sozinha, ela acarreta normalmente tanto a tristeza (estado de alma) como sofrimento (que pode ser de alma e corpo). Já a mágoa é geralmente um sentimento da falta de perdão.

 Como detectar a amargura:

“Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-os uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” Efésios 4.32.

Podemos reconhecer a amargura através dos seguintes sintomas:

Silêncio vingativo.

Respostas rápidas e ríspidas.

Isolamento.

Agressões verbais.

A pessoa se transforma numa pessoa amarga e todos passam a evitá-la. Começa a arquitetar vingança.

Ex.: ler um bilhete que recebeu por várias vezes, falando da conversa com outras pessoas várias vezes para ver se acrescenta outras pessoas, fica remoendo a sua dor e vai aumentado sua ferida. É como uma maçã podre, que faz apodrecer todo o restante. Assim, a pessoa amargurada atinge todo o seu grupo, seja familiar, escolar, profissional, de amizades, etc…

Como o ser humano é composto:

O ser humano é composto de espírito, alma e corpo (1 Ts 5.23) e a amargura atua no homem conforme o quadro a seguir:

Considere os seguintes pontos: Homem. Causas e efeitos. Observações

No espírito O pecado. A falta de perdão.Separa-nos de Deus naquela área.Dá direito ao espírito torturador.

Na alma (No psicológico). Cria a ferida da amargura.Deus pode agir na cura da ferida.Podeexistir a presença de um espírito de amargura (a ser expulso).

No corpoA amargura pode resultar em doenças físicas se não for tratada.A cura da enfermidade por Deus muitas vezes depende da cura da ferida da alma.

Efeitos físicos:

As seguintes doenças são freqüentemente ligadas à amargura ou geradas por ela:

Artrose: a pessoa tem os seguintes sintomas: entrave nos ossos (não se movimentam), não articulação.

Causas: falta de perdão, pecados não confessados, amargura (ver Salmos 32.1,3-4).

Úlcera: é de fundo nervoso. Os tecidos do estômago ficam irritados. A grande produção de suco  gástrico acaba acentuando o problema, criando feridas no estômago.

Causas: ira, ciúmes, inveja, amargura e rejeição.

Vesícula e rins: os efeitos sobre a vesícula e sobre os rins, com graves conseqüências, podem     acarretar a morte. As emoções são carregadas diretamente sobre os rins. No conceito hebraico     os rins    eram a sede das emoções. Sabemos da importância do bom funcionamento dos rins, porque eles filtram todas as impurezas e as eliminam através da urina.

Causas: emoções (tristeza).

Fígado: a digestão imperfeita dos alimentos pode acarretar problemas no sistema nervoso com  impacto sobre o fígado. Quando uma pessoa tem amargura, geralmente ingere os alimentos  com raiva e isso vai acentuar ainda mais os efeitos malignos acima.

Câncer: Já existem provas científicas de que o câncer pode ser provocado por traumas e por raízes de amargura e pela tristeza.

Coração: todos os problemas do coração são em função da raiz de amargura.

Efeitos emocionais:

Assim como efeitos físicos decorrem dos problemas da alma, os efeitos emocionais (da alma) decorrem basicamente do que foi causado espiritualmente, ou seja, do pecado e da falta de perdão. Por outro lado, quando as emoções não vão bem, a alma está enferma, o espírito é abalado, o que gera um círculo vicioso. A raiz do mal está no pecado (que precisa ser confessado) e na falta de perdão (que precisa ser eliminada).

Amargura

Ansiedade

Depressão

Consideremos os seguintes textos da palavra de Deus: Hebreus 12.14-15 e Tiago 3.14-15.

Estes versículos nos mostram que a amargura, decorrente da não liberação do pecado, é alimento para demônios, e ainda faz da pessoa alguém contamina os outros. É como um câncer que se alastra, prejudicando os outros, transmitindo este mal aos outros.

O processo para a cura da amargura:

O processo para a cura da amargura tem dois lados: o humano e o divino.

Lado humano: é o que só a pessoa pode fazer. Deus nada fará antes que a pessoa faça a sua parte. São elas:

Aceitar que seu problema é real. Confessar diante de Deus que tem amargura no coração e orar a respeito. Deixar que o espírito santo revele as situações e circunstâncias em que o problema surgiu, as pessoas envolvidas e o que de fato aconteceu.

Tomar a decisão de querer ser curada. Nada vai acontecer se a pessoa não quiser de fato ser curada. Não adiantará que ninguém ore por ela, ou jejue; não adiantará fazê-la passar por aconselhamentos psicológicos ou espirituais; a pessoa tem que querer!

Percorrer as etapas para a cura. Pedir perdão pelos pecados envolvidos e liberar perdão às pessoas que causaram injustiças na vida da pessoa

Lado divino: é o que somente Deus poderá fazer. E Ele fará desde que a pessoa tenha cumprido a sua parte (o lado humano). O processo básico para a cura que Deus fará dependerá então da pessoa pedir perdão (pelos seus pecados e pelos dos outros, envolvidos no problema) e perdoar aqueles que a feriram.  

Tipos de perdão:

Perdão só de boca para fora. Esse tipo de perdão não adiantará nada. Tem que ser autêntico, de coração (Mateus 18.35).

Falso perdão com auto-engano. Nesse tipo de perdão a pessoa diz que perdoou, sem ter perdoado. Quando não houve de fato o perdão a ferida da alma não é curada e permanece com “uma casca” que, por qualquer coisa, pode ser rompida e a ferida volta então a sangrar.

Falso perdão com imprecação. Nesse tipo de perdão a pessoa diz: Perdoei, mas Deus é justo e vai castigá-lo. Isso não é perdão. O verdadeiro perdão é aquele que abençoa. É assim que nos ensina a oração do Pai Nosso.

Falso perdão com separação. Nesse tipo de perdão a pessoa diz: Eu perdôo, mas ele pra lá e eu prá cá. Isso também não é perdão. Já imaginou se pedíssemos perdão a Deus e ele nos dissesse: Tá perdoada, mas eu pra cá e você pra lá.

A maneira cerca de agir:

Se você tem amargura e quer se libertar dela e, está firme na sua decisão, chegue-se então a Deus e abra seu coração diante dele (Salmos 51.6).

Diga-lhe:

Qual é a sua verdade? Qual é a sua história? Quem realmente você é? Qual é a sua identidade? O que você tem no seu interior? Quais são seus pensamentos, seus sentimentos, há desejos secretos no seu coração? Você tem inveja, ciúmes, inferioridade, rejeição, ódio, tristeza…

Você se conhece realmente? Você sabe quem você é, e não o que aparenta para os outros, e não quem gostaria de ser, mas de fato quem é você? Chegue-se a Deus assim!

Se eu me conheço e não conheço o Deus da graça, entro em desespero.

Se eu conheço Deus, mas não me conheço, entro em religiosidade.

Que Deus a abençoe!

 

Fonte: https://goo.gl/jp3Y4P 

Bispos

Artigos de nossos Bispos

Sobre nós

A Comunidade Esdras - Associação Bom Pastor é uma associação privada de leigos católicos, criada na cidade de Montes Claros-MG, que tem por objetivo a promoção da pessoa humana e o seu desenvolvimento integral. Desenvolve suas atividades através de programas radiofônicos diários, palestras, atendimentos pessoais, cursos em toda a região do Norte de Minas Gerais.

Entre em contato

Rua Grão Mogol, 313, Centro. Montes Claros - MG, 39400-056

(38) 3201-8144

Redes sociais

Desenvolvido por W42 - Tecnologia